sábado, 29 de maio de 2010

Ganhem dinheiro em cima da tragédia humana

Vou contar um caso a vocês. A frase “se não fosse cômico, seria trágico” não pode, de forma alguma, ser associada a esse caso, porque ele é VERDADEIRAMENTE trágico.

Eu e minha amiga L. estávamos na faculdade batendo o maior papo antes das nossas aulas começarem. De repente, percebemos que havia chegado o horário das aulas e nos dirigimos ao Instituto para pegarmos os nossos pertences e materiais . Nesse instante, resolvi passar na copiadora e pegar uns exercícios que havia deixado por lá.
A amiga L. preferiu adiantar e pediu a minha chave emprestada para abrir a porta da sala do nosso projeto de pesquisa. Havia duas chaves no meu chaveiro. Certamente, a minha amiga L. deve ter pensado como eu pensaria: vou tentar abrir com uma, caso eu não consiga, só poderá ser a outra. Ela só não contava com dois imprevistos (assim como eu também não contaria): primeiro, o de que a chave errada poderia caber perfeitamente na fechadura, mesmo que não girasse para poder abrir a porta; e segundo, o de que a chave não sairia facilmente.

Pronto! Foi um desespero de vida! A chave encravada na porta, todos os nossos pertences presos, e as nossas aulas atrasadas! Os alunos delas iriam apresentar um seminário e os meus iriam assistir aula de revisão para a prova! O desespero dobrava a cada segundo!

De repente, lembramos que na porta da universidade há a barraquinha de um chaveiro. Fomos até lá na esperança de encontrá-lo às 19h da noite. Não o encontramos, mas como Deus é maravilhoso, havia uma placa que informava o número do celular do chaveiro e a sua disponibilidade por 24hs.

Ficamos super felizes!!! Ligamos, explicamos a situação ao senhor e, evidentemente, perguntamos o preço do serviço. O senhor (que até então havia sido tão simpático) nos informou que cobrava o valor de 50 reais APENAS para ver qual era o problema e que se precisasse de algo mais o valor aumentaria.

Ficamos em estado de choque!!! Mas não havia outra solução.

Então, o senhor (não mais simpático) foi até o local, retirou a chave e desempenou o miolo da fechadura. Ele fez isso em dois segundos e da maneira mais leve e simples que vocês puderem imaginar.

Um professor que estava acompanhado o nosso desesperou virou e disse: a vida moderna ganha dinheiro em cima da tragédia humana, não sabiam?

Foi aí que parei para pensar no assunto. O chaveiro nos cobrou 50 reais para retirar uma chave da fechadura; a maioria dos psicólogos (os camaradas) cobram 50 reais por uma hora de consulta para você se sentir um pouco melhor... e assim por diante!

Diante disso, comecei a pensar que posso ganahr muito dinheiro em cima das mães que me ligam desesperadamente no final do ano com medo dos seus filhos serem reprovados. Por que não havia pensado nisso antes? Prometi a mim mesma que não deixarei o meu coração falar mais alto e cobrarei 50 reais, no mínimo, para avaliar o problema do aluno, e a depender do que for diagnosticado, o valor aumentará significativamente (tudo isso somado à distância, à dificuldade de deslocamento, aos estranhos horários, etc.)
Como não sou egoísta, resolvi, então, compartilhar com vocês essa ideia (que não foi minha) e lançar oficialmente a campanha: ganhem dinheiro em cima da tragédia humana!

9 comentários:

Luci Hora! disse...

Aderindo...

Vida disse...

Sim, sim, faz todo sentido... Ninguém libera nada p a gente, então n vou liberar nada p ninguém...

Lanuza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lanuza disse...

Pra alguma coisa o desespero e os 50,00 teriam de servir!!!
Amiga L.

Lila Beatriz disse...

Vamos, gente, vamos!!! Mandem as diversas possibilidades de ganharmos dinheiro em cima da tragédia humana... vamos ficar ricas!!!

Clark disse...

Há um selo para você no meu blog:

http://em-metropolis.blogspot.com/2010/06/o-primeiro-selo.html

Luci Hora! disse...

Oieeeeeeeeeee.. Tem selinhos para vc aqui: http://pontinhoexclamacao.blogspot.com/2010/06/obaaaaaaa-selinho.html

TOKA DO ED disse...

Espero que outros professores possam aderir a esse levante rsrsrs... Mas, em contra partida, segue aqui meu apelo em forma de prece:
Que minha filha seja sempre inteligente!

Que minha filha seja sempre inteligente!

Que minha filha seja sempre intelugente!

Lila Beatriz disse...

Caro Ed, intensifique as orações, pq estamos irredutíveis!!! rs!